19 de novembro

Veja aqui mais fotos de dia 19 de novembro

FERNANDO REBOLA – DIRETOR DA ESCOLA SUPERIOR DE EDUCAÇÃO E CIÊNCIAS SOCIAIS

“Agradecer mais esta edição da ENOVE+ que irá funcionar em moldes diferentes. Sejam todos bem-vindos. Espero que aproveitem o dia todo e que de facto seja útil e inspirador.

Vamos dar início a esta edição da ENOVE+, este ano com um formato novo que vamos experimentar e naturalmente iremos avaliar. Este é um modelo distinto e que é distinto em várias dimensões: por um lado é um modelo descentralizado, quer no espaço, quer no tempo. É um modelo que irá ocorrer em três dias distintos, já que se iniciou no passado dia 13 no Campus Politécnico, hoje é o segundo dia de ENOVE+, aqui centrada na Escola Superior de Educação e Ciências Sociais, e amanhã será um novo dia, o terceiro dia da ENOVE+, na Escola Superior Agrária de Elvas.

Portanto, em relação à descentralização, temos uma nova forma de estruturar e de levar a cabo a ENOVE+. É também um modelo mais focado nos objetivos fundamentais da ENOVE, e este parece-me ser um aspeto muito relevante. Este ano procurou-se claramente ir àquilo que são os objetivos fundacionais da iniciativa, isto é, a promoção do emprego e do empreendedorismo e colocar estes objetivos à frente de quaisquer outros que eventualmente um evento desta natureza possa incluir. E também, não menos importante, um modelo muito centrado e mais orientado de facto para os estudantes, para os diplomados, do Instituto Politécnico de Portalegre, promovendo a articulação com as entidades e as empresas e também com as outras escolas. Temos aqui um belíssimo exemplo, e agradeço novamente à Escola de Hotelaria e Turismo por estar aqui connosco, colaborando de forma magnifica também neste dia em particular da ENOVE+. Parece ser pois, em minha opinião, um modelo muito interessante e que tem grande potencial para ser bem-sucedido naquilo que diz respeito à concretização dos objetivos a que nos propomos. Como dizia há pouco, no final iremos então fazer o balanço e iremos ter uma noção mais clara se o modelo corresponde, ou não, àquilo que são as nossas ambições.

Relativamente ao programa, é muito completo e diversificado. Aborda temáticas diferentes e promove também atividades de diferente natureza, o que poderá conseguir alcançar diferentes públicos e diferentes objetivos. Certamente irá ter atividades muito úteis e inspiradoras para todos os participantes, e neste sentido felicito, o Gabinete de Emprego e Empreendedorismo, pela forma como estruturou, e pela forma como coordenou e concretizou a ENOVE+.

Agradeço, em particular, à subdiretora da ESECS que nos representa no GEE, a professora Luísa Carvalho, pela forma dinâmica como se acoplou com os restantes elementos do GEE para levar a cabo, ou pelo menos para promover, as atividades que hoje iram ser levadas a cabo no âmbito da ENOVE+, e agradeço naturalmente às coordenações de curso que propuseram atividades que estão integradas no programa. Agradeço também, naturalmente, a todos os oradores, aos moderadores e aos dinamizadores das diversas atividades que certamente vão tornar o dia de hoje um dia muito rico para todos os participantes. Entre estes dinamizadores é com muito agrado também que consigo encontrar também alguns ex-estudantes da ESECS o que obviamente muito nos orgulha.

Portanto, a todos muito obrigado e que seja um dia inspirador e que corresponda à expectativa de cada um. O que desejamos é que aproveitem o dia tanto quanto ele pode oferecer.”

ARTUR ROMÃO – COORDENADOR DA ENOVE+

“Estou aqui na qualidade de coordenador, enfim, elemento que agrega aqui um conjunto de vontades para a realização desta ENOVE+, que está na 12ª edição. O facto de falar depois é sempre facilitador. Há aqui uma componente de cumprimentos aos presentes, de agradecimento aos oradores, de apresentação do modelo e do programa, que já foi muito bem apresentado pelo Sr. Diretor que, aliás, até há bem pouco tempo fazia parte também deste Gabinete de Empreendedorismo e Emprego, mas ainda assim, tenho de reforçar essas palavras, agradecer a presença de todos e muito particularmente quem ajudou o programa deste dia. Já foi destacado o caso da Luísa que, em conjunto com os outros elementos do gabinete, têm boa parte da responsabilidade daquilo que é positivo neste programa, que irão encontrar aqui ao longo do dia.
Conforme o meu colega e amigo Fernando Rebola também já referiu, o nosso foco nesta ENOVE+, retoma e tem muito em consideração aquela que é a primeira atribuição do Politécnico de Portalegre. Portanto, esta mensagem é destinada àqueles que são alunos, aos que poderão vir a ser alunos, mas também àqueles que são representantes do meio e que trabalham em conjunto connosco. A primeira atribuição do Politécnico de Portalegre, é formar os seus alunos e facilitar a sua inserção na vida ativa.

Facilitar a inserção na vida ativa, é a razão pela qual temos um Gabinete de Empreendedorismo e Emprego. Para promover a empregabilidade nos nossos alunos, é fundamental esta relação com o meio empresarial e com o conjunto das organizações. No entanto, esta facilitação da inserção na vida ativa acontece também por via do empreendedorismo com a criação do próprio emprego e também para os jovens diplomados que depois acabam por se inserir e trabalhando por conta de outrem, sendo também empreendedores. Penso que o programa, tal como foi aqui referido, vai muito nesse sentido e é com muita felicidade que encontro aqui bons exemplos e boas atividades direcionadas especificamente o curso de turismo, para os cursos da área da comunicação, que são vários e na área da educação, onde também pode e deve existir empreendedorismo. Constato aqui de algum modo uma lacuna na área do serviço social e portanto, fica desde já aqui o desafio, que no decurso deste ano, em conjunto, termos oportunidade de organizarmos aqui umas jornadas ou um evento na área do empreendedorismo social, já que temos muitos bons exemplos saídos desta escola.

Para além desta feira da ENOVE+, cujo o historial e o programa o Sr. Diretor já referiu, temos este gabinete que dinamiza também um conjunto de outras atividades. Umas delas não está aqui especificamente referida no programa, que é o Poliempreende, mas lanço desde já aqui o repto para o Pedro e a Ana, para quando vierem apresentar a Bolsa de Emprego, que é outra atividade que nós dinamizamos, façam também uma referencia ao Poliempreende. Poliempreende é um concurso de ideias de negócio que, para além de um concurso, inclui também um conjunto de atividades de formação e dinamização. Há pouco fazíamos aqui um levantamento nos últimos anos. A então Escola Superior de Educação e agora também de Ciências Sociais tem sido, de algum modo, parca em termos do conjunto de projetos que têm sido apresentados. Antes conseguimos apenas aqui identificar quatro projetos, que são poucos, muito poucos, mas bons projetos, na medida que desses quatro, três deles foram premiados: um conquistou o primeiro prémio do concurso regional e registaram-se ainda dois terceiros prémios. É uma iniciativa nossa, de ano para ano, com a Caixa Geral de Depósitos e, portanto, fica também esse repto para que a Escola Superior de Educação e Ciências Sociais tente manter a qualidade, incrementando a quantidade.

Agora, namorando também um pouco o curso de Turismo. Nós participámos o ano passado, pela primeira vez, numa iniciativa à qual iremos dar continuidade, que é o concurso Turism Explorers, no qual o Politécnico, via do Gabinete de Empreendedorismo e Emprego também participa. Temos aqui potencial que o curso e os alunos do curso de Turismo poderão também aproveitar. Podemos aqui fazer uma ligação interessante entre o Poliempreende e o Turism Explorers. Fica essa mensagem. Iremos trabalhar, com certeza, com as coordenadoras e as professoras da área, para alcançarmos esse resultado. Esse concurso tem um conjunto de prémios monetários apoiados pela Caixa Geral de Depósitos, mas tem também a vantagem de permitir o acesso à BioBIP. Eu não vou aqui perguntar quantos alunos é que conhecem a BioBIP, aincubadora de base tecnológica do Politécnico, mas ainda não há muito tempo, em conversa com um alto responsável do IAPMEI numas jornadas, tinha ido daqui muito bem impressionado com o grau de pro-atividade dos alunos e com o interessa das jornadas. Ficou, no entanto, muito desapontado com o facto da maior parte dos alunos, praticamente nenhuns, conheciam a BioBIP. Portanto, esse é um trabalho que temos de reforçar, em colaboração com os professores nos vários cursos, no sentido de darmos a conhecer a BioBIP e depois, beneficiando da presença aqui de empresários com destaque, poderemos também, no âmbito dessa apresentação dessa Bolsa de Emprego, termos aqui uma palavra de reforço nessa vertente.

Portanto são estas as nossas atividades. Hoje o foco é na promoção do emprego e do empreendedorismo, com um programa rico. Começamos, penso que bem, por aquilo que normalmente é o final. Quando nós identificamos ideias de negócio, depois temos de estruturar essas ideias, planeá-las, e depois é que vamos procurar o financiamento. Aquilo que normalmente é a ultima das preocupações são as fontes de financiamento, portanto começamos bem, começamos pelo final, precisamente pela apresentação das várias alternativas que existem, que estão ao dispor. Para os jovens que tenham ideias, os estudantes, os diplomados, aqueles que queiram criar o seu próprio emprego, vamos começar com a CGD com a Dra. Cristina Paulino a quem agradeço, mais uma vez.

Fazendo aqui eco das palavras do Diretor Fernando Rebola, espero que o conjunto das atividades sejam inspiradoras. Vamos estando aqui o dia todo para podermos ir dialogando, trocando impressões. Que o dia seja positivo e, para quem quiser, amanhã continuaremos na Escola Agrária em Elvas.”